Na última quarta (29/11), o IBGE finalmente apresentou as estimativas relativas aos rendimentos de todas as fontes, além de disponibilizar os microdados para os cálculos. Ok, mas o que isso quer dizer? Aguardei ansiosamente1 para saber como as coisas irão funcionar com o fim da PNAD anual e introdução da PNAD Contínua. Antes, a PNAD trazia informações referentes ao ano. Agora, a PNAD Contínua traz informações sobre os trimestres. E quanto às informações anuais?

Continue reading

O assunto de hoje são os microdados do OBMigra. Mas, antes disso, vamos apresentar um pouco do contexto institucional. OBMigra O Observatório das migrações internacionais (OBMigra) é fruto de um convênio estabelecido entre o Ministério do Trabalho (MTb), Conselho Nacional de Imigração (CNIg) e Universidade de Brasília (UnB). Sua finalidade é ampliar o conhecimento a respeito dos fluxos migratórios internacionais no Brasil, através de estudos e análises empíricas, e fornecer subsídios para a formulação de estratégias de política pública.

Continue reading

Dando sequência ao post anterior, vamos analisar outra base de dados. Ou outras bases de dados? Dessa vez, falaremos dos microdados do RAIS e CAGED. Vamos? Bases do Ministério do Trabalho O Ministério do Trabalho (MTb) permite que o usuário acesse os microdados de duas bases muito interessantes: RAIS e CAGED. Bom, além de serem mais dois elementos na “sopa de letrinhas” de microdados brasileiros, o que são exatamente esses dados?

Continue reading

Você sabe o que é o Cadastro Único? Sabe que uma amostra dos microdados está disponível? Sabe que dá pra analisar no R? Não? Até uns dias atrás, eu também não. Se você tem interesse nessa base de dados, vamos lá! Caso contrário, assista esse vídeo do MDS. Se, ainda assim, você não estiver interessado, bom… tem um presente no fim do post. Não tem nada muito a ver, mas vale a pena!

Continue reading

Esse post é um pequeno follow-up da discussão sobre mapas de densidade de pontos, mas com um pouco mais de diretos da infância e adolescência. Vamos analisar como se distribuem espacialmente as crianças com e sem registro de nascimento, usando dados dos agregados de setores censitários do Censo 2010. Dessa vez, vamos focar em 4 capitais: Belém, Manaus , Fortaleza e São Luís. Sem mais conversa, prossigamos. Belém Manaus Fortaleza São Luís

Continue reading

You can find the R code for this post here. Some time ago, I came across this nice post showing how ethnicity is distributed in London. This is very interesting, as it reveals patterns about how communities are organized and how inequality express itself upon housing locations. Our task today is to apply the same procedure to large Brazilian cities. Here’s our list of municipalities: São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Recife, Salvador, and home Manaus.

Continue reading

Há alguns dias atrás, rolou o ENEM desse ano. E daí veio a ideia para este post: analisar a desigualdade na educação entre os jovens do Ensino Médio a partir das pontuações dos candidatos. Usando R, como sempre. Vou tentar manter as complicações matemáticas fora da questão e focar na aplicação da técnica para entender o contexto da desigualdade educacional. Assim, pretendo trazer gente de outras áreas, como pedagogos e sociólogos, que podem se beneficiar de mais uma ferramenta para analisar o problema, além de contribuir com novas perspectivas para “aqueles que só pensam com números”1.

Continue reading

Author's picture

Guilherme Jacob

B.A. in Law, B.Sc. in Economics, and coding somewhere in between.
Born and raised in Manaus-AM, Brazil.

Data Analyst

Unknown